ANÁLISE: Você, a série da Netflix que nos faz refletir sobre relacionamentos abusivos

A Netflix disponibilizou há pouco tempo uma nova série que vem ganhando cada vez mais atenção e popularidade, fazendo barulho e, consequentemente, garantindo uma nova temporada. Você é uma produção polêmica por misturar dois gêneros completamente diferentes, comédia romântica e suspense, causando curiosidade e despertando diversos questionamentos em nossos interiores, por exemplo: até que ponto alguém é capaz de chegar em nome da paixão?


A história foca no vendedor de uma livraria, Joe Goldberg (Penn Badgley, de Gossip Girl), que ao atender uma cliente, que revela ser uma aspirante a escritora, acaba se apaixonando logo de cara. Porém o que parecia ser apenas uma atração imediata e forte acaba se tornando algo cada vez mais obsessivo e preocupante. Beck (Elizabeth Lail) passa a ser seguida frequentemente por Joe sem saber, e tem sua vida monitorada por ele. Uma coisa é ver todas as postagens de uma pessoa nas redes sociais, até porque se está na página dela é porque ela disponibilizou e assim quis, mas Joe vai muito além disso. Ele vigia Beck através da janela da casa da própria garota, manipula o primeiro encontro com ela e ainda utiliza do interesse em comum de ambos por livros para se aproximar cada vez mais dela. Ele passa a ficar ciente de cada passo que Beck dá e de tudo que acontece na vida da jovem.

Atualmente temos vários relatos de pessoas que passaram por um relacionamento abusivo. É um triste fato, mas é uma realidade. A verdade é que temos muitos Joe por aí que gostam de controlar o que sua ou seu parceiro fazem. Isso não faz mal somente para o relacionamento, como para nossa saúde mental. É importante saber reconhecer os sinais, embora seja muito difícil quando se é a pessoa dentro da relação. Por isso a importância de saber ouvir os amigos mais íntimos e manter a mente aberta, antes que você se torne refém do parceiro e acabe preso em um vínculo afetivo tóxico. Você está aí para nos fazer refletir sobre o quão errado é toda essa situação, embora na série o cenário talvez seja até mais perigoso.

A cada episódio a série vai construindo um clima que fica cada vez mais sombrio. As ações de Joe vão se tornando mais perturbadoras no decorrer dos capítulos e a pergunta que a gente se faz é a seguinte: como isso tudo vai acabar?



Apesar do tema problemático, Você funciona perfeitamente como um seriado e não só entretém como nos faz pensar. Penn Badgley convence como o impulsivo e obcecado homem que faz de tudo para ficar com a amada e defender o que é certo para ele. Elizabeth Lail impressiona por transmitir a doçura e as inseguranças humanas de sua personagem, o que nos faz sentir mais próximos e conectados a ela de alguma forma. E apesar de serem os que mais brilham, não é só os protagonistas que fazem a trama. A produção conta com ótimos coadjuvantes que acrescentam e fazem a série fluir de forma coerente. Uma delas é Peach (Shay Mitchell, de Pretty Little Liars), que assume o papel de melhor amiga da principal, mas com um segredo que desencadeia uma rivalidade entre ela e Joe. Paco (Luca Padovan) é outro personagem interessante. Ele é vizinho de Joe e enfrenta uma imensa angústia porque sua mãe é vítima de violência doméstica. Paco inclusive é uma criança que por diversas vezes é protegida por Joe, o que traz uma camada mais bondosa para o protagonista. É uma clara tentativa da produção de nos fazer simpatizar mais com ele e deixar os telespectadores divididos quanto a gostar de Joe ou não.

Se diferenciando da maioria das produções, Você se destaca por abordar um relacionamento amoroso que segue rumos completamente diferentes do esperado. Existem fãs da série que até admitiram nas redes sociais que shipparam os dois, apesar de vários elementos na trama evidenciarem o quão inaceitável seria isso acontecer. O ator Penn Badgley até fez muitas publicações em seu twitter e instagram demonstrando choque por saber da existência de pessoas que romantizam o relacionamento de seu personagem com Beck, até porque o protagonista é também o vilão, o que torna a série ousada e original. Uma característica que também faz de Você uma produção autêntica é o recurso narrativo usado para contar a história, pois é feito na perspectiva de Joe. Uma coisa é certa, ou você ama a série ou você a odeia, não existe meio termo.

O seriado é uma adaptação da obra literária de mesmo nome, escrita por Caroline Kepnes.
ANÁLISE: Você, a série da Netflix que nos faz refletir sobre relacionamentos abusivos ANÁLISE: Você, a série da Netflix que nos faz refletir sobre relacionamentos abusivos Reviewed by Pedro Augusto on terça-feira, janeiro 29, 2019 Rating: 5