Porque o Witness é o melhor álbum da Katy Perry?


Não, você não leu errado. Vamos provar que o álbum "Witness" é o melhor da carreira da Katy Perry. Talvez a imagem que você mais associe na sua cabeça quando pensa em Katy Perry é aquela Katy rodeada de algodão doce, balas e tudo mais. Não julgo, porque é a mesma imagem que vem a minha cabeça. Mas talvez não seja a imagem mais sincera da cantora.
Sabe quando você só é você mesmo quando está mais vulnerável? Foi Perry na era Witness. Esqueça todos os doces, as perucas, as fantasias e coloque uma Katy crua, com cabelos curtos e falando de assuntos realmente necessários como militância, dependência emocional, ansiedade, fim de relacionamentos e feminismo. Todos esses temas foram abordados no álbum mais sincero e verdadeiro da cantora.
TRACK BY TRACK
Witness 
Eu posso ter uma testemunha para passar por isso junto comigo? Katy Perry inicia o álbum com a faixa título, "Witness", com uma pergunta que permeia toda a era. Você estaria disposto a ser sua testemunha e passar todos os altos e baixos que uma pessoa poderia ter? A música fala da eterna busca de um alguém que esteja com você em todos os momentos, até nos mais difíceis. Como diz a letra, todos nós queremos ser notados de alguma forma, e com Katy Perry não seria diferente.

Hey Hey Hey
Quem segue Katy Perry em suas redes sociais, sabe que ela é uma feminista. Mas Katy nunca tinha explorado esse tema em uma música, portanto “Hey hey hey” é o hino feminista do álbum. Na faixa, Katy afirma que o estereótipo de sexo frágil não se aplica a sua figura. Que ela pode ser feminina e ser a chefe. Que pode ser bonita e inteligente. Que ela pode ser uma rosa, mas te furar como um espinho. E numa célebre frase, ela pode ser Marilyn Monroe num caminhão monstro. RESPECT!
Roulette
Parece que Katy Perry encontrou a sua testemunha lá do início do álbum e está disposta a se jogar de cabeça nessa aventura, como se tivesse apostando todas as suas fichas nesse relacionamento e querendo viver intensamente todos os momentos com essa pessoa. “Como numa roleta, quero fechar os meus olhos e girar com você, quero perder o controle e esquecer de tudo”, diz o refrão da música.

Swish Swish
Sendo a faixa mais pop do álbum, “Swish Swish”, no primeiro momento foi levada como uma resposta para a música de Taylor Swift, “Bad Blood”, que aparentemente foi feita para Perry, mas esse não é o mérito da questão, pois mais tarde as duas fariam as pazes e colocariam um fim na inimizade que tiveram no passado.
O fato é que a música teve um crescente com o lançamento do clipe e tendo a sua mensagem levada para uma disputa de basquete, pois “Swish” é um termo utilizado no basquete. Polêmicas à parte, a música é a que menos se encaixa na proposta do álbum, mas não deixa de ser uma boa faixa pop feita para as rádios e para as pistas ao redor do mundo. E não poderíamos esquecer da parceria ICÔNICA com a rainha do Bumbum (E do Brasil), Gretchen, que fez parte do lyric vídeo da faixa e ainda participou de um dos shows da “Witness Tour”, realizado no Brasil esse ano.

DéJà-Vu
A palavra DéJà-Vu é uma expressão de origem francesa utilizada para descrever a sensação de já ter estado em algum lugar ou situação anteriormente. Na faixa, Katy faz uma analogia com um relacionamento que já está tão desgastado que dá a impressão que todos os dias são iguais com aquela pessoa e que tudo é mais do mesmo. Quem nunca passou por uma situação parecida, não é mesmo?

Power
Voltamos a falar de empoderamento feminino, uma vez que Perry já flertou com o feminismo em “Hey Hey Hey”. A faixa narra um relacionamento abusivo, onde Katy se dá conta do quanto ela foi submissa e se calou diante de situações do relacionamento e que agora ela está tomando o seu poder de volta. “Você não pode cortar minhas asas, não pode fazer murchar minhas flores. Você roubou meu tempo, mas eu vou compensar as horas. Porque eu sou uma deusa e você sabe disso. É melhor você mostrar algum respeito e eu cansei de você controlando meu poder. ” É aquele refrão que você canta a plenos pulmões, um verdadeiro HINO!

Mind Maze
Talvez a faixa mais experimental do álbum, “Mind Maze” trata de um assunto que infelizmente ainda é muito pouco discutido, que é a saúde mental e a luta contra a ansiedade.
Em tradução livre, “Mind Maze” significa labirinto mental, e nada mais é aquela situação que nos percebemos reféns de nós mesmos. Onde tanta coisa acontece ao mesmo tempo que parece que não há uma saída lógica para superar as adversidades. “Eu preciso me libertar e sair do meu próprio caminho”, diz um trecho da faixa.

Miss You More
Katy agora fala sobre um assunto que é recorrente nas vidas das pessoas, que é o termino de um relacionamento. “Eu sinto mais a sua falta do que te amo”. Pesado não é mesmo?
Muitas vezes um relacionamento termina por não haver mais amor entre o casal, mas as lembranças dos bons momentos, a companhia do outro pode fazer muito mais falta do que o amor em si. "Nós éramos uma combinação, mas não um encaixe". "Às vezes u me pergunto o que nós poderíamos ter sido", são alguns trechos que narram tão bem uma situação que possivelmente todos nós já tenhamos vivido, em algum momento da vida.

Chained to the Rhythm
Primeira música de trabalho da era Witness, “Chained to the Rhythm” é a música de protesto do álbum. Após a eleição presidencial americana, Perry, como muitos outros artistas, decidiram usar suas vozes para discutir sobre o cenário político do país.
A música no primeiro momento, parece simplesmente mais uma música pop chiclete, mas quando se presta atenção na letra, podemos ver uma forte crítica social ao “modelo americano” de enxergar sua própria realidade. “Estamos surdos? Continuamos varrendo tudo pra debaixo do tapete. Achei que podíamos fazer melhor que isso, espero que possamos. Tão confortáveis, estamos vivendo em uma bolha, tão confortáveis, não conseguimos enxergar o problema. ” Qualquer semelhança com a política do Brasil, #EleNão é mera coincidência.
Tsunami
Ao contrário do nome, a faixa "Tsunami" é a mais calma do álbum, onde Katy convida o seu amante para mergulhar em suas profundezas sem medo, como diz a letra. A faixa utiliza metáforas para falar sobre o prazer feminino, que muitas vezes não é bem visto ou não é levado em conta pelos homens e não é a primeira vez que Katy utiliza metáforas para falar sobre sexo em suas músicas.
Bon Appétit
Voltando a falar da liberdade sexual das mulheres, Katy está pronta para ser o prato principal nessa faixa deliciosa, em parceria com o trio de rappers, Migos. A faixa que é o segundo single oficial da era “Witness”, sofreu bastantes críticas no seu lançamento, por comparar uma mulher com uma refeição, mas a mensagem nada mais é que um tapa na cara do machismo e um grito pela liberdade sexual das mulheres, uma vez que elas podem fazer o que quiserem com o corpo delas, sem precisar da aprovação de um homem para isso. BON APPÉTIT, BABY!

Bigger Than Me
"Bigger Than Me" é a faixa reflexiva do álbum. A letra fala sobre perceber uma revolução interna, onde evoluir como pessoa é estritamente necessário na nossa caminhada. Sentir que algo maior que você mesmo está acontecendo e abraçar esse sentimento de evolução. Talvez seja a faixa que mais capte a essência do álbum, uma vez que nele está presente muitas mensagens importantes que Katy nunca tinha tratado antes, pelo menos não dessa maneira.

Save As Draft
Voltando a falar sobre términos de relacionamentos, onde Katy quer voltar a ter contato com a pessoa com quem teve um relacionamento, mas não tem coragem para fazer, pois ela não quer mais sofrer com o passado. “Eu escrevo, apago, repito, mas, de que vai adiantar reabrir a ferida? Então eu respiro fundo e salvo como rascunho. ” É umas das faixas mais bonitas e vulneráveis do álbum.

Pendullum
"Can I get an amen up in here?" Katy Perry volta nas suas raízes da música Gospel e traz um tradicional coral americano para a faixa mais animada do álbum. A letra compara a vida como um pêndulo, que ao mesmo tempo que algo na sua vida vai, ele volta em algum momento e que a vida tem seus altos e baixos, e que o segredo é não desanimar com as adversidades.

Into Me You See
Finalizando o álbum com chave de ouro, a faixa Into Me You See mostra Katy finalmente encontrando sua testemunha depois de tantas desilusões. É a pessoa que conseguiu ultrapassar todas as barreiras, que encontrou a melhor versão de Katy, que nem ela mesma sabia que existia. A pessoa que consegue ver o interior e o exterior dela e que já conhece sua intimidade. Katy está pronta para sua próxima jornada!
Porque o Witness é o melhor álbum da Katy Perry? Porque o Witness é o melhor álbum da Katy Perry? Reviewed by Bernardo Torres on quarta-feira, outubro 31, 2018 Rating: 5