Como Lady Gaga muda o jogo toda vez em sua carreira

Faz 10 anos desde que Lady Gaga estreou no mundo da música com um dos seus maiores hits "Just Dance", com sua peruca loira, seus grandes saltos e seu visual "retrô". Foi como um chute na porta que colocou o pop de volta ao rumo. Comparações à parte, Lady Gaga soube como fazer uma entrada apoteótica e também soube manter por mais de uma era de sucesso sua grandiosidade e sua essência.

"Bad Romance" é sem dúvida o maior hit da carreira da cantora, o clipe de maiores visualizações, considerado clipe da década pela revista Billboard e talvez a música mais conhecida da cantora no mundo todo. Tudo que Lady Gaga faz, vira ouro! Vestido de carne? Puro ouro nas mãos da única pessoa que conseguiria tornar icônico tal façanha. Cada passo na carreira era um recorde e sua figura excêntrica e seu grande talento atraíram os olhares de todo o mundo.



Mas tudo que começa lá no alto, tende a diminuir gradativamente (o que não tem absolutamente nada a ver com menor qualidade.) A era "Born This Way" sem dúvidas é uma das favoritas dos fãs, pois a mensagem de aceitação por trás de toda a estranheza de looks e conceitos acertou em cheio os “Little Monsters. ” Porém a imagem Lady Gaga já estava extremamente desgastada e a crítica por sua vez não foi tão receptiva com a sonoridade do álbum.

Uma das maiores turnês femininas de todos os tempos, a "Born This Way Ball" foi a benção e a maldição na carreira da cantora. Boicotes, problemas de saúde, desgaste emocional, crítica por conta do peso.... Foram os inúmeros problemas e que juntos (ou não) ocasionaram uma lesão séria no quadril que levou ao cancelamento da última etapa da turnê e era o que faltava para a mídia decretar o fim da carreira da cantora.
Após meses de recuperação, Lady Gaga anuncia sua volta ao pop iniciando a contagem regressiva de uma nova era na sua carreira, a "ARTPOP" era. As expectativas eram grandiosamente altas, tanto dos fãs, quanto da crítica. “Applause” foi o single escolhido para ser o "carro-chefe" da era e cumpriu muito bem o papel de resgatar a essência da cantora, mas os grandes números já não eram mais os mesmos. O álbum foi lançado e não teve uma excelente recepção. Problemas com a gravadora e com seu empresário atrapalharam o desempenho do álbum e uma severa depressão foi a gota d' água para o fantasma do fracasso retornar. Felizmente a turnê ArtRave: The Artpop Ball seguiu até o fim sem nenhum cancelamento.
Mas é aí que Lady Gaga deu sua tacada de mestre. Se despiu de todo personagem pop e entrou de cabeça na parceria com o lendário cantor de Jazz, Tony Bennet, onde criaram um álbum de regravações que agradou em cheio a crítica. Lady Gaga mostrou sua façanha mais impensável e certeira. O álbum trouxe a Gaga e Tony um Grammy de Melhor Álbum Tradicional. Foi a volta de Lady Gaga para o cenário musical e para as premiações de música.



Gaga, com seu personagem em “American Horror Story”, ganhou um Globo de Ouro de Melhor Atriz. Com a música “Til It Happens To You“ para o documentário "The Hunting Ground" concorreu ao Oscar e no ano seguinte, Gaga fez um tributo ao icônico filme "A Noviça Rebelde" que a colocou de volta aos holofotes. Foi a volta que Lady Gaga precisava provar ao mundo de que não era só mais uma cantora pop, e sim uma artista destinada a viver a sua paixão pela arte e pela música.
Após um pequeno hiato, Lady Gaga volta despida de grandes looks para uma versão pop rock com camiseta branca e shortinho com a ilusão perfeita. Gaga nos fez acreditar que se arriscaria em algo mais pop rock. Mas a primeira impressão não foi a que ficou dessa vez. Adicionando um grande chapéu de cowboy à sua fantasia, Gaga nos trouxe diretamente para uma era country pop, que nos deu de presente uma grande balada chamada "Million Reasons", que não víamos a muitos anos na carreira da artista.
Com essa volta, Gaga deu ao mundo toda sua teatralidade e força ao abrir o Super Bowl de 2017, onde foi ovacionada por todo o mundo. Porém o que parecia ser um jogo ganho, não foi bem assim. Um problema de saúde, ainda desconhecido pelos fãs, causou grandes dores físicas na cantora, que inclusive precisou cancelar sua única passagem pelo Brasil, depois de quase 6 anos desde sua última vez. O fatídico "Brazil, I'm devasted" ainda é um grande fantasma que assombra os fãs da cantora, que poderiam ter a chance de ver a cantora no palco do Rock In Rio. Sua última turnê, até então, a "Joanne World Tour", também precisou ser cancelada às pressas. A saúde é um capítulo importante na vida da cantora, que não esconde sua luta para se manter fisicamente e emocionalmente forte.


Durante a era Joanne, um documentário sobre a vida da cantora chamado "Five Foot Two" acontecia paralelamente em parceria com a Netflix e isso foi só o início de uma grande jornada. Era Gaga visionando sua estreia nas grandes telas com a grande produção "A Star Is Born", em parceria com o ator e diretor Bradley Cooper.
O filme que estreou no início do mês, já acumula mais de 200 milhões de dólares em bilheteria e o álbum da trilha sonora do filme é o primeiro na mais importante parada de álbuns do mundo. BINGO! Mais uma vez, Lady Gaga retorna ao jogo fazendo aquilo que faz de melhor, ser uma artista. Atuando, cantando e entregando o mais puro talento que nunca deixou de existir. Grande favorita nas premiações voltada para os filmes, Gaga poderá ganhar um Oscar de Melhor Atriz e Bradley de Melhor Diretor.
Lady Gaga é uma figura enigmática e um case muito interessante de como em 10 anos, conseguiu mudar o jogo tantas vezes sem cair no óbvio. Parafraseando a jornalista brasileira, Sandra Annenberg: "Você pode odiar, desprezar, não gostar, ter nojo, zombar, falar mal, mas não pode negar. Não existe uma cantora que possa ser comparada com Lady Gaga."

Como Lady Gaga muda o jogo toda vez em sua carreira Como Lady Gaga muda o jogo toda vez em sua carreira Reviewed by Bernardo Torres on quarta-feira, outubro 24, 2018 Rating: 5