Análise de clipe: 'American Life', de Madonna


No álbum 'American Life', de 2003, Madonna não apenas se posiciona politicamente, mas também artisticamente. Em um período onde o R'n'B e hip-hop estavam dominando as paradas, a cantora se firmou no pop eletrônico e no folk acústico para criticar o estilo de vida americano, principalmente o consumismo, a vida superficial de aparências e as guerras em que o Estados Unidos se metiam (e ainda se metem, não é).

Seu single homônimo, lançado em 8 de Abril de 2003, toca nesse último quesito, principalmente. Nessa época, o presidente americano George W. Bush estava planejando uma invasão ao Iraque, o que serviu de catalisador para que Madonna interviesse artisticamente em uma canção de pop eletrônico com direito a rap perto do final. A polêmica foi tanta que, quando a invasão realmente aconteceu, Madonna substituiu a versão original por outra, onde cantava com bandeiras passando no fundo, além de ter gerado uma onda de boicote à cantora que a prejudica até hoje.

Essa substituição foi motivada pelo desejo de evitar interpretações erradas e de não ofender o corpo militar, já que o clipe é uma crítica à política da guerra, e não aos soldados que se sacrificam no campo de batalha, pois eles também são vítimas desse mecanismo. Para ver a versão final, clique aqui.


O clipe começa com comandante Madonna e seu squad se vestindo, enquanto um desfile de moda se inicia, com os modelos vestidos com temas militares e uma plateia admirada. À medida que o tempo passa, o desfile, que a princípio mostra apenas roupas camufladas, começa a ficar mais pesado, exibindo corpos amputados, garotas muçulmanas assustadas e violência para com os civis nativos. 


À medida que o desfile fica mais cruel e sangrento, a plateia parece se divertir mais, rindo e aplaudindo. Quando o rap de Madonna começa, ela e as mulheres-soldado que a acompanham invadem o desfile em um carro, enquanto as coisas ficam ainda mais sangrentas, tanto na passarela quanto nos telões, para o êxtase da plateia.


A parte final do vídeo é o auge da barbárie A plateia está em êxtase e a passarela está parecendo um campo de batalha, além do clipe trazer também imagens reais do que a guerra pode fazer. No fim, Madonna atira uma granada à plateia, que fica espantada com o ataque. 


Em pouco mais de cinco minutos, Madonna questiona a forma que o governo, a mídia e a população dos Estados Unidos tratam a guerra e as intervenções militares. O governo simplesmente ignora o sofrimento da população civil, motivado por razões torpes. A mídia transforma tudo em um grande espetáculo para que a população 'patriota' assista, como um tipo doentio reality show.

Por fim, ao atirar a granada à plateia e receber uma reação de susto e espanto, Madonna mostra forma que as pessoas reagem quando alguém critica o mecanismo da guerra, como se querer evitar dor, morte e sofrimento fosse algo espantoso e anti-patriótico.
Análise de clipe: 'American Life', de Madonna Análise de clipe: 'American Life', de Madonna Reviewed by Wilson Barroso on quarta-feira, fevereiro 14, 2018 Rating: 5