Sete músicas que vão fazer você se apaixonar por Zazie


Isabelle Marie Anne de Truchis de Varennes (de Orleans-Bragança, penetração difícil), mais conhecida como  Zazie é uma aclamada cantora, compositora e modelo francesa, famosíssima pelas letras inteligentes e pelo fato de ter escrito ou composto quase todas as suas faixas. Nascida nos arredores de Paris em 18 de Abril de 1964 e dona de uma carreira muito bem sucedida (sendo um personagem tão local), Zazie é desde 2015 jurada do The Voice francês, mas já está trabalhando em um novo álbum.

Tendo passeado por diversos estilos, como a chanson française, o electropop e o soft rock, trabalhados em nove álbuns de estúdio, a cantora possui diversas músicas maravilhosas, que combinam com perfeição com sua voz levemente rouca. A POPlândia escolheu sete delas para entender e (começar a) apreciar sua discografia.

1. Sucré, Salé (Je, Tu, Ils, 1992)
O primeiro álbum da cantora não fez muito sucesso, tendo vendido apenas 50 mil cópias mundialmente. No entanto, seu primeiro single e maior sucesso, 'Sucré, Salé' mostra que apesar do debut ruim, este é um álbum excelente. Esta faixa, um pop nostálgico cujos sintetizadores remetem logo de cara ao começo dos anos noventa, fala sobre o lado bom e o ruim do amor, com uma letra super bem escrita e diferenciada, que não se escora em clichês.

Seu clipe, ambientado em um hospício, é super sensual e provocante, a ponto de ter sido apontado como imoral e escandaloso na época. A nudez, as insinuações e a suruba (inclusive homossexual) já atestam que Zazie chegou chegando, não dando a mínima para censuras idiotas e conservadorismos vazios.


2. Larsen (Zen, 1995)
Tendo vendido seis vezes mais que o seu antecessor, 'Zen' ajudou a estabelecer Zazie como parte fundamental da cultura pop francesa. 'Larsen', seu primeiro single, tem uma introdução soft rock com guitarra e bateria, mas logo uma camada pop mais suave aparece e a música começa a rolar de verdade, com uma letra que fala sobre fins de relacionamento. 

Seu clipe é esteticamente inovador, gravado em uma sala de espelhos com diversas texturas monocromáticas, além da cantora e de um dançarino brincarem com uma câmera, o que de certa forma, é metalinguagem. Se você sofre de labirintite ou fica tonto com facilidade, recomendamos apenas escutar a música


3. Ça Fait Mal et Ça Fait Rien (Made in Love, 1998)
Bebendo das fontes do soft rock, esta faixa consegue executar sua melodia principalmente com bateria e guitarra, mas ainda assim mantendo a suavidade, sendo um bom exemplo da sonoridade do álbum e da reinvenção da cantora em relação às suas influências musicais de seus dois primeiros álbuns.

Seu texto fala sobre traição em relacionamentos, e isso é mostrado em seu clipe. No vídeo, diversas cenas de traição e diversas reações a ela são exibidos em diversas estéticas distintas (como aceitação, reação agressiva, não-traição, etc), o que gerou sua censura em alguns canais de TV por causa do conteúdo violento em algumas partes.

 

4. Rue de la Paix (La Zizanie, 2001)
Primeiro single do álbum mais vendido da cantora, que superou as 450 mil cópias apenas na França, esta faixa é uma das primeiras músicas importantes da cantora a fazer críticas sociais, principalmente à pobreza e ao desequilíbrio ambiental. A reinvenção temática veio acompanhada de reinvenção sonora, pois esta faixa utiliza sintetizadores pesados e uma melodia rock eletrônica muito boa e inesperada em sua discografia.

Já o clipe se passa em um ambiente futurista, que mostra robôs criando seres humanos para explorarem ao invés do contrário. 


5. Rodéo (Rodéo, 2004)
Este foi o primeiro álbum visual de Zazie, onde dez das treze faixas formam um curta de 40 minutos chamado Rodéo Indien. Esta faixa é ainda mais eletrônica que 'Rue de la Paix', com direito a distorções e uma batida suave de sintetizadores e piano contrastando lindamente. A letra é uma espécie de atestado de derrota de alguém em algum aspecto da vida, apesar das advertências do eu-lírico.

Seu clipe, que está em Rodéo Indien, Zazie está tendo uma discussão na chuva com um homem, que tenta fugir dela, como que fugindo do próprio erro cometido. Apesar de não ter tido nenhum single oficial (ou seja, lançado nas rádios), apenas promocionais, o álbum vendeu mais de 350 mil cópias na França


6. Je Suis un Homme (Totem, 2007)
O segundo single de 'Totem' é a faixa mais famosa de Zazie, internacionalmente falando. Com sua batida de percussão bem marcada, quase hipnótica, contrastando com melodia lenta de guitarra, que combina com o tom pessimista com que a letra trata a humanidade, criticando principalmente a sociedade de consumo e a exploração excessiva da natureza.

O clipe representa a letra com maestria, se passando em um museu onde os seres humanos veem a forma como tratam uns aos outros e ao mundo, passando a crítica feita na letra para o campo visual, abordando racismo, desnutrição, superpopulação, etc.


7. Pise (Encore Heureux, 2015)
Com influências do trip hop e da chanson française, essa faixa lida com um relacionamento a beira do fim, comparado com a Torre de Pisa ('tour de Pise'). Apesar de ser um tema comum, as habilidade de composição de Zazie a transformam numa obra de arte. Sua melodia alia um sintetizador de fundo ao mesmo tempo etéreo e pesado, assim como uma instrumentação soft rock super suave.


Sete músicas que vão fazer você se apaixonar por Zazie Sete músicas que vão fazer você se apaixonar por Zazie Reviewed by Wilson Barroso on terça-feira, janeiro 23, 2018 Rating: 5