Análise de clipe: 'Praying', de Kesha


Leia aqui nossa resenha do álbum 'Rainbow'

Imaginamos que a maior parte dos fãs de música pop sabem mais ou menos o inferno pelo qual a vida de Kesha vem passando desde 2012. Mas resumindo, ela está envolvida em um caso judiciário complicado que envolve problemas contratuais e acusações de abuso sexual em relação a seu empresário Dr. Luke, com o qual a cantora ainda está ligado via contrato. Explicamos melhor essa novela em nossa resenha do álbum 'Rainbow', que disponibilizamos acima.

'Praying', o lead single do álbum 'Rainbow', que foi lançado em em 11 de Agosto de 2017, conta uma parte do processo pelo qual a cantora passou, desde a sua quase destruição, sua reação e sua redenção, quebrando um hiato de quase cinco anos desde seu último álbum, 'Warrior', de 2012. Para isso, o clipe utiliza linguagem simbólica e traça paralelos com uma história religiosa de superação, tudo isso envolto em uma estética hippie setentista e uma música pop que tende ao gospel e mostra os vocais limpos da cantora de uma forma até então inédita.


Salvation Mountain, nos Estados Unidos, foi o local escolhido para gravar 'Praying', uma localidade coberta com arte de diversas formas, que passam uma mensagem de perdão e amor, criado pelo morador local Leonard Knight. Ou seja, a própria locação do vídeo já traz consigo certo significado, bem como a fonte indiana utilizada, que já traz consigo uma aura divina e espiritual.

O vídeo em si começa com uma cena onde homens com cabeça de porco (que simbolizam os abusadores da cantora, sendo símbolos do próprio demônio em tradições judaico-cristãs), além de cenas em preto e branco que mostram Kesha machucada à deriva em destroços, o que é outra representação desse sentimento. A cantora no caixão está de batom preto e piercing, estética que remete aos seus primeiros álbuns. Ou seja, o enterro passa a mensagem de que a Kesha 'antiga', está morta. (no sentido figurado, ninguém tá dizendo que ela morreu e foi substituída por uma sósia pelos Illuminati).

Há também um monólogo antes da música começar que fala sobre o estado de espírito de Kesha, destruída pelos acontecimentos. Em tradução livre:
Estou morta? Ou este é um daqueles sonhos? Aqueles sonhos terríveis que parecem que duram para sempre? Se estou viva, por quê? Se há Deus ou algo do tipo, algo, em algum lugar, por que fui abandonada por todos e por tudo que eu conheci? Eu já amei? Abandonada. Qual é o ensinamento? Qual é a lição? Deus, me dê um sinal, ou terei que desistir. Não posso continuar fazendo isso. Por favor, me deixe morrer. Viver doi demais 

Após um minuto de monólogo, começa o clipe. Então, ela aparece em um lugar com vários móveis amontoados, intercalado com cenas de Kesha cantando ao piano com asas de anjo e coroa de espinhos, uma referência ao que ainda restou de puro na cantora e no sofrimento que antecede a redenção, respectivamente. Andando, ela acha uma capela, onde se ajoelha para rezar, o que é mais um indício de que depois de tanta turbulência, ela se voltou à espiritualidade, mas não necessariamente ao cristianismo. Símbolos cristãos ou similares são muito usados por serem mais fáceis de entender e interpretar para o grande público do que  simbologia hinduísta ou wiccana.


Em outras cenas, ela é perseguida pelos homens com cabeça de porco, enquanto em outro plano ela sobe a 'montanha sagrada', um símbolo clássico de jornada  e ascensão espiritual (como em A Divina Comédia, de Dante Alighieri).



A cantora aparece se livrando de redes de pesca que a seguram, o que é um símbolo de libertação da dúvida em si própria e de outras amarras como ditadura da magreza e perseguição da mídia (explorada na cena em que ela quebra as televisões. A Kesha dos destroços é visitada por um pássaro colorido, que é um símbolo de esperança e o sinal pedido no monólogo. Então, ela começa a reagir. Viver vale a pena e, depois das tempestade, nos tornamos mais fortes.


Nesse ponto do vídeo, todos os planos narrativos se intercalam rapidamente. No fim das contas, aparece Kesha rezando pelos inimigos no topo da montanha, a mesma sendo capturada pelos porcos e chorando algo escuro (o que simboliza o sofrimento mais desesperador) e se animando e colorindo nos destroços a ponto de andar sobre a água. 


Como você pode ter reparado, há várias referências a Jesus Cristo, como a coroa de espinhos, o fato de Kesha rezar pelos inimigos, andar sobre a água e 'ressuscitar' nos destroços. Isso não tem o objetivo de blasfemar ou algo do tipo, mas utilizá-lo como um símbolo das atribulações que passou, assim como representar a esperança e renovação em vários sentidos. Além disso, como dissemos acima, símbolos cristãos são mais fáceis de assimilar e interpretar para o grande público do que de outras religiões menos divulgadas. No fim das contas, é tudo sobre renascimento, o que é reforçado pelo 'the beginning' que fecha o vídeo.


Análise de clipe: 'Praying', de Kesha Análise de clipe: 'Praying', de Kesha Reviewed by Wilson Barroso on quarta-feira, janeiro 31, 2018 Rating: 5