Análise: Cher mostra seu lado indie em 'Not.Com.Mercial'


Quem poderia imaginar que Cher, a deusa do pop, já lançou um álbum totalmente independente entre dois álbuns pop muito bem sucedidos como o antológico 'Believe' e o falso-último 'Living Proof'?

Após o sucesso estrondoso de 'Believe', a Warner, gravadora de Cher, queria que a cantora continuasse no mesmo estilo, para tentar repetir o sucesso deste álbum. No entanto, ao apresentar um novo conjunto de músicas, quase todas compostas por Cher durante um período na França na década de 1990, a cantora recebeu uma negativa de sua gravadora, que disse que o material apresentado era 'não comercial' (vindo daí o nome deste álbum). 

Apesar disso, Cher decidiu publicar esse trabalho. Sem o apoio de sua gravadora, o trabalho foi distribuído exclusivamente pela internet, no site oficial da cantora e na plataforma ArtistDirect, até hoje sem ter entrado nas plataformas de streaming, sendo um álbum completamente indie. Lançado em 8 de Novembro de 2000, 'Not.Com.Mercial' não teve nenhum single, apesar da faixa 'Born With the Hunger' ter sido incluída na coletânea 'The Very Best of Cher', lançada em 2003.

Oito das dez faixas foram compostas ou co-compostas pela cantora, que passeou por diversos ritmos, como o folk, o rock e o pop alternativo, sendo de certa forma autobiográfico e muito pouco parecido com qualquer outro álbum lançado pela cantora, antes ou depois, o que não significa que seja um álbum ruim, muito pelo contrário, 'Not.Com.Mercial' foi teve aclamação da crítica.

Veja nossa análise faixa a faixa:

1. Still
O álbum é aberto com sua canção mais longa. Com mais de seis minutos, essa balada é totalmente acústica, com uma linda melodia baseada em violão, violino e bateria suave. Simples, crua e tocante, 'Still' é sobre a angustiante e agridoce relação com um homem casado.

2. Sisters of Mercy
Esta canção controversa rendeu brigas sérias com autoridades católicas. Com uma melodia folk que tende um pouco ao country, essa faixa traz uma instrumentação rica, com violão, banjo, gaita, bateria e eventuais sinos de igreja, falando sobre os abusos que a cantora sofreu durante uma temporada passada num orfanato dirigido pelas Irmãs de Misericórdia, durante sua infância, pintando as freiras como seres sórdidos que utilizavam o hábito como desculpa para seus atos.

3. Runnin'
Cher sempre trabalhou muito e passou por dificuldades ao longo de seu caminho. Assim como sua faixa 'Perfection', do álbum 'Cher' (1987), 'Runnin'' também fala sobre trabalho e a vontade de levá-lo o mais próximo possível da perfeição. Com elementos da música do sul dos Estados Unidos, como soul e R'n'B, essa faixa tem a melodia mais dinâmica que as duas faixas anteriores, abusando do baixo, da bateria e do teclado.

4. Born With the Hunger
Uma das duas faixas não escritas por Cher, esta faixa foi composta por Shirley Eikhard. Ela mistura rock e contry em doses quase iguais, mesclando bateria e guitarra com banjo, sendo perfeita para pegar a estrada. Já a letra repete um pouco e extrapola a temática de 'Runnin'', falando sobre aquele sangue nos olhos na hora de correr atrás do que se quer.

5. (The Fall) Kurt's Blues
Com teclado, violão e bateria, esta faixa que mescla folk e grunge rock é uma das mais fortes do álbum. Ela é uma homenagem a Kurt Cobain, vocalista da lendária banda Nirvana, que se matou em 1994, mas está longe de ser um mero tributo. Ao redor disso ela desenha uma crítica ácida e contundente à mídia e ao povo americano, que tornam uma pessoa um ídolo em certo momento, apenas para induzir e assistir sua decadência. Parece familiar?

6. With or Without You
Esta canção é uma balada suave e repleta de alma, cuja letra fala sobre um término, lembrando muito o trabalho da cantora entre o fim dos anos 60 e começo dos anos 70. Com piano, guitarra e backing vocals, a melodia vai crescendo à medida que a música avança, casando perfeitamente com timbre grave característico da cantora. 

7. Fit to Fly
Com sintetizadores, guitarra e teclado, Cher parece ter tirado essa faixa direto de seu álbum 'Heart of Stone' (1989). A princípio uma homenagem para o avô da cantora, que lutou durante a Segunda Guerra Mundial, essa faixa acabou se tornando uma homenagem aos militares que arriscam a vida para manter a segurança do país, o que de certa forma é uma visão romantizada da guerra.

8. Disaster Cake
Esta faixa fala sobre Heid, ex-namorada de Chastity, filha de Cher, e a forma com que ela ignorava os conselhos da cantora enquanto estava em sua sua casa. Uma das faixas mais animadas do álbum, ela tem uma pegada mais country rock, similar a 'Born With the Hunger', igualmente boa para pegar a estrada.

9. Our Lady of San Francisco
Uma balada composta quase totalmente por voz e violão, essa faixa fala sobre uma moradora de rua em São Francisco em que Cher acabou tropeçando, falando sobre a culpa que a cantora sentiu e a falta de visibilidade dos moradores de rua.

10. Classified 1A
Apesar desta música ter sido originalmente composta na década de 70 por Sonny Bono, marido de Cher, ela foi colocada neste álbum. É bastante tocante, falando sobre um soldado que está morrendo na Guerra do Vietnam, cujas últimas memórias são sobre a pessoa amada. A letra em si precisa de certo empenho para ser decifrada, mas o título dá a chave: o código 'Classified 1A', de acordo como o US Code of Federal Regulations significa 'apto para serviço militar irrestrito'. Ou seja, toca na temática de 'Fit to Fly' de uma forma totalmente oposta.

Letra: 8,0
Melodia e Instrumentação: 7,5
Vocais: 8,0
Videografia: -
Identidade: 7,5
Nota final: 7,75


observação: este vídeo não está na ordem do alinhamento de faixas do álbum



Análise: Cher mostra seu lado indie em 'Not.Com.Mercial' Análise: Cher mostra seu lado indie em 'Not.Com.Mercial' Reviewed by Wilson Barroso on domingo, novembro 19, 2017 Rating: 5