Sete músicas que vão fazer você se apaixonar por Mónica Naranjo


Veja nossas resenhas dessa artista
Palabra de Mujer (1997)
Tarántula (2008)
Lubna (2016)

Mónica Naranjo, conhecida pela alcunha de 'Pantera de Figueras', em alusão à cidade em que nasceu e a um de seus maiores sucessos, é uma cantora espanhola admirada pela extravagância musical e a tendência de experimentar. Por isso, apesar de ter relativamente poucos álbuns ao longo de sua carreira, já fez de tudo: do  teen pop grudento ao dancepop noventista, de regravações de standards italianos à mistura picante de ópera e rock.

Sendo tão versátil, Mónica não poderia ficar de fora da nossa seleção! A POPlândia escolheu sete canções para você cair de joelhos diante do grito da pantera.

1. Desátame (Palabra de Mujer, 1997)
Desfazendo o teen pop grudento de seu primeiro álbum, 'Desátame' traz uma Mónica reinventada: mulher feita, sensual e dona de uma voz selvagem. Esta faixa é um hino techno e dancepop com um aroma maravilhoso de anos noventa, e fala sobre um homem que não decide se quer ou não a cantora. Mas o destaque fica com o clipe: vestida como sacerdotisa grega em um clipe com insinuações lésbicas, Mónica galgou ao status de uma das maiores gay icons da Península Ibérica.


2. Pantera en Libertad (Palabra de Mujer, 1997)
Responsável pelo apelido da cantora e altamente influenciado pelo videoclipe de 'Express Yourself', de Madonna, essa canção lida com liberdade e empoderamento, onde Mónica se liberta das amarras que a seguravam no começo da carreira. Essa canção dançante, que tende o techno e ao house, leva os vocais da cantora a posições maravilhosamente variadas. Vale a pena escutar.


3. Sobreviviré (Minage, 2000)
Primeiro single do álbum 'Minage', essa canção é uma versão complementada em espanhol da faixa 'Fiume Azzurro', da cantora italina Mina, a grande homenageada do álbum. Assim como muitas faixas de seu repertório, esta tem momentos distintos, alternando calmaria acústica e batidão pop. O clipe, parte acústico e clássico, parte maravilhosamente scifi e futurista, parece ter saído direto de uma das provas do RuPaul's Drag Race.


4. Chicas Malas (Chicas Malas, 2003)
Tentando sem muito sucesso repetir os números de 'Palabra de Mujer', 'Chicas Malas' mostra uma Mónica mais comercial, se rendendo à disco music e ao dancepop, no melhor clima bad bitch oitentista possível na hora de superar uma pessoa que quebrou o coração de Mónica. 


5. Europa (Tarántula, 2008)
Iniciando uma fase conceitualmente mais robusta após um hiato de quase 5 anos, essa canção tem momentos bem definidos: a parte clássica, operática e gloriosa; e a parte techno e dancepop. E em ambas, um desempenho vocal simplesmente impecável, nessa faixa que traça um paralelo entre a Europa assolada pela Segunda Guerra Mundial e a carreira de uma decadente diva da ópera (a própria Mónica? Don't think so). O clipe é repleto de símbolos e renderia com facilidade um textão no Danizudo.


6. Make You Rock ( - , 2012)
Mesmo sem ter sido usado para promover um álbum, essa canção em inglês tem o seu valor. Além da divisão da música em partes acústicas e sintéticas (aliás, a parte dance pop dessa canção é impecável), o próprio clipe é divido de forma brutal e monocromática, contrastando o branco da inocência e o preto do poder corrompido de uma rainha alien industrial goth que deixa qualquer Predador no chinelo.


7. Apocalíptica (Lubna, 2016)
Apesar dessa música não ter sido single, ela é a amostra perfeita da inclinação operática da voz de Mónica. Acompanhada por uma melodia de ópera, com violino, piano e oboé, a cantora chega a notas altíssimas enquanto pratica ornamentos complicados. De acordo com a cantora, essa faixa conta a história de uma adolescente obsessivamente controlada por sua mãe abusiva.



Sete músicas que vão fazer você se apaixonar por Mónica Naranjo Sete músicas que vão fazer você se apaixonar por Mónica Naranjo Reviewed by Wilson Barroso on quarta-feira, outubro 18, 2017 Rating: 5