Rita Lee por Rita Lee



Um dos ícones do rock nacional, a cantora Rita Lee, concedeu uma entrevista para o programa do jornalista Pedro Bial, Conversa com Bial, e contou detalhes da sua vida e carreira, que estão presentes também em sua auto biografia, intitulada Rita Lee, uma auto biografia.

Na entrevista, Rita conta que hoje em dia, sua atitude mais rock 'n roll é cuidar da sua horta e de seu bichos. Afastada dos holofotes por opção própria, Rita leva hoje em dia uma vida mais calma, com seu marido, o compositor e instrumentista, Roberto de Carvalho, com quem vive há mais de 40 anos.



Falando sobre a sua biografia, Rita conta que foi uma ótima experiencia escrever sobre a sua vida e que lembrou de coisas boas e também exorcizou muito dos seus demônios. No livro e também na entrevista, ela fala abertamente sobre o abuso sexual que sofreu quando tinha apenas 5 anos de idade.

Até então, eu fiquei 65 anos com essa imagem, com uma sombra, uma coisa pesada na minha vida e aí eu comecei a escrever e exorcizou sabe, parece que colocar em palavras a coisa ficou leve... Eu não lembro de ter sofrido dor física, porque foi uma chave de fenda que o cara enfiou e que minha mãe me encontrou assim (de pernas abertas) com a chave de fenda e olhando para aquele sangue.


Rita também lembrou do momento que foi presa na época da ditadura, onde diversos outros cantores, como Gilberto Gil e Caetano Veloso foram presos por conta da censura que sofreram na época. E no livro é contado um momento onde ela canta uma de suas músicas, "Ovelha Negra", na prisão.

Suas letras nunca foram necessariamente sobre política mas falavam de assuntos como amor e sexo e isso fez com que ela fosse a cantora mais censurada naquele período. Em outro momento, Rita fala que não sabe muito da teoria do feminismo e que a sua ação diz muito mais do que a sua teoria.

A gente vai lá e faz essas coisas de feminismo. Eu não tenho muito a teoria da coisa, nunca tive, eu fui mais de ação. Ah, a mulher não pode usar calça comprida. Hã? Pode, eu fui lá e usava. Ah, mulher não pode fazer rock, tem que ter "colhões". Eu pegava meus ovários e meu útero e ia fazer rock n' roll. Mulher não podia falar de sexo, eu ia lá e fazia música. Eu acho que essa meninada, essas mulheres, vão lá e faça!


Num dos momentos mais abertos da entrevista, Rita Lee conta da relação que teve com as drogas e fala que de todas as drogas que já usou, o álcool foi uma das piores que já experimentou e citou que é a droga que mais faz mal para a própria pessoa e para os outros. o LSD (uma droga sintética) nas palavras da própria Rita é o encontro com o divino e que veio de Nova Iorque com um colar de LSD para vender.

Eu tinha saído dos Mutantes, precisava de grana pra montar banda, comprar equipamento e tive essa ideia. Fui pra Nova Iorque e o primo dealer (traficante em inglês) falou assim: "Vamos fazer um colar de miçangas de pedrinhas de LSD." Passamos noites fazendo isso e passei invisível na Alfândega (local onde inspecionam as bagagens nos aeroportos).
Rita, que está limpa a 11 anos, não se arrepende de nada que fez.

Eu não faço "discursinho" de Madalena arrependida. Eu acho que as melhores músicas que eu fiz, eu fiz em estado alterado e as piores também.
Chegando ao fim da entrevista Rita, fala da possibilidade de gravar um álbum de músicas demos (músicas não finalizadas) e que não quer mais voltar pros palcos por conta da sua idade. Hoje em dia, seus hobbies são escrever músicas, ouvir instrumentais de Jazz, pintar e cuidar dos seus bichos.



Uma curiosidade dita na entrevista, é que Rita tem um altar ecumênico na sua casa, que vai de imagens de  James Dean a Hebe Camargo. Hahahaha adoramos 💖

Ao final, Rita Lee a pedido de Pedro Bial, lê a última frase de seu livro,

A sorte de ter sido eu, de ter sido quem sou, de estar onde estou, não é nada se comparada ao meu maior gol. Sim, acho que fiz um monte de gente feliz.


Fez e continua fazendo Ritinha! Você mora no coração de todos os brasileiros e contribuiu absurdamente para a luta das mulheres no Brasil. Uma lenda viva, que devemos o maior respeito.

Você pode ver a entrevista completa no site da Globo, www.globoplay.com.br
Rita Lee por Rita Lee Rita Lee por Rita Lee Reviewed by Bernardo Torres on quinta-feira, maio 04, 2017 Rating: 5