Especial: Cinco músicas que falam sobre guerra


Estamos vivendo tempos sombrios.

Como se não bastasse a barbárie e o vácuo de poder na Síria, agora grande potências como Estados Unidos e Rússia começaram a se envolver diretamente, enquanto a Coréia do Norte ameaça nuclearmente outros países e relações diplomáticas dentro e fora da ONU se tornam cada vez mais frágeis. Tudo isso num contexto de crescimento de movimentos  e líderes nacionalistas e conservadores em locais como Reino Unido (Brexit) e França (Marine le Pen).

Seja como for, respira-se tensão nas relações entre essas potências, e por mais difícil que seja entender o que está acontecendo de verdade, não dá pra negar que apenas um milagre pode evitar uma guerra de dimensões globais (que até o momento da escrita desse texto, não estourou).

A questão é: tudo isso já aconteceu antes. A história tem dessas coisas, há ciclos que volta e meia se repetem, e com as guerras não poderia ser diferente. Já houve massacres, ameaça nuclear, guerras covardes e desproporcionalmente cruéis. E como não poderia deixar de ser, há cantores e bandas que se revoltaram com essa situação com a arma que dispunham: a arte.

Aqui estão cinco dessas músicas que falam sobre guerra ou assuntos diretamente relacionados. Essas canções são interessantes para mostrar a situação do mundo da época e validar uma certeza que todos nós temos: o ser humano simplesmente não aprende.

1. Zombie (1994) – The Cranberries
The Cranberries é uma banda irlandesa bastante conhecida nos Estados Unidos e no Brasil, principalmente por singles como “Linger” e “Ode to my family”. Mas não é apenas sobre amor, família e desilusão que essa banda escreve.

Ninguém esperava que em seu segundo álbum de estúdio (“No need to argue’’) esta banda lançasse um single que falasse sobre o conflito da Irlanda do Norte. Esta tensão começou com atritos entre a Irlanda do Norte protestante e a Irlanda católica nos anos 60 e terminou em 1998 com a assinatura do Tratado de Belfast, sendo uma das mais acirradas da Europa do pós-guerra, com direito a um grupo terrorista (IRA, Irish Republican Army) e mais de 50000 mortes.

O clipe dessa canção alterna cenas de guerra e guerrilha com a vocalista da banda, Dolores O'Riordan, pintada de dourado aos pés de uma cruz.



2. Breathing (1980) – Kate Bush
Kate Bush é uma das cantoras mais aclamadas no Reino Unido, apesar de ser conhecida na América apenas por dois ou três singles, principalmente “Wuthering Heights”.

Durante a Guerra Fria, que terminou com a dissolução da URSS, o medo de bombas nucleares era uma constante na vida das pessoas, e houve momentos em que o mundo passou a milímetros de uma guerra nuclear de fato, como durante a Crise dos Mísseis de Cuba em 1962.

Com apenas dois anos de carreira, Kate ousou ao lançar uma canção que fala sobre um assunto tão pesado. ''Breathing'' não fala sobre nenhuma guerra em particular, mas sobre um mundo submetido a explosões atômicas e terror radioativo. Nesse caso, fala do ponto de vista de um feto que é destinado a nascer num mundo assim. Descrições faladas do brilho da explosão dessas bombas dão um toque pós-apocalíptico à música.



3. American Life (2003) – Madonna
Madonna dispensa apresentações. Sempre politizada e de opiniões fortes, ela ousou, em 2003, lançar um álbum que criticava o american way of life em vários aspectos, inclusive a guerra.

Desde os ataques de 11 de Setembro, os Estados Unidos planejavam atacar o Iraque como forma de retaliação. E de fato o fizeram em 2003.

O clipe original de ''American Life'' mostra a guerra como um desfile que serve de entretenimento a uma platéia americana alienada, mesmo diante de explosões, mutilações, mortes e ferimentos desnecessários, sendo uma crítica bastante ácida sobre a forma que os EUA lidam com a guerra.

Um pouco depois do lançamento do clipe, ele foi engavetado e substituído por uma versão onde Madonna apenas canta na frente de bandeiras. Essa substituição, de acordo com a cantora, aconteceu porque ela considerou que o clipe original seria desrespeitoso para com os soldados que estavam embarcando para o Oriente Médio.



4. Classified 1A (2000) – Cher
Apesar de a versão original dessa canção ter sido cantada por Cher na década de 70, ela foi remixada e posta no alinhamento de faixas do álbum “Not.Com.Mercial’’, de 2000.

Mesmo não tendo ganhado clipe, é uma faixa tocante, que fala de uma pessoa que lembra do quanto ama outra enquanto morre em campo de batalha.

A letra em si não mostra muito claramente que se trata de uma canção sobre a guerra, mas o título da canção dá a chave pra matar a charada: ‘’Classified 1A’’ segundo o US Code of Federal Regulations significa ''apto para serviço militar irrestrito''.




5. 1944 (2016) - Jamala
Essa foi a canção vencedora do festival Eurovision de 2016, cantada pela ucraniana de origem tártara Jamala. Com sua voz rouca, ela fala sobre a migração em massa violenta e abrupta dos tártaros da Criméia para a Ásia Central, comandada pelo regime de Stálin na extinta União Soviética. Essa canção contém trechos de uma canção folclórica tártara chamada Ey, güzel Qirum, e é bastante tocante.

O clipe alterna cenas da cantora dançando com um grupo de pessoas visivelmente assustadas e outras das mesmas pessoas fugindo de algo numa terra coberta por um denso nevoeiro e sobrevoada por uma espécie de nave futurista.


Especial: Cinco músicas que falam sobre guerra Especial: Cinco músicas que falam sobre guerra Reviewed by Wilson Barroso on sexta-feira, abril 14, 2017 Rating: 5